quinta-feira, 5 de maio de 2011

COMO ATUAR NUMA EMERGÊNCIA.

Convêm inicialmente definir que:                                                                                EMERGÊNCIA :


URGÊNCIA :

É um fato onde uma providência corretiva deve ser tomada tão logo seja possível.

 É um fato que não pode aguardar nenhum período de tempo para que seja tomada a devida providencia corretiva, Geralmente existe risco de morte.


Diante de uma emergência, as pessoas apresentam reações emocionais variadas.
Abaixo encontramos as mais comuns:


Ansiedade:
é normal e compreensivo que fiquemos ansiosos diante de uma emergência, porém de forma controlada que nos permita tomar as medidas emergenciais corretas. tão logo seja possível.


Pânico:
algumas pessoas tendem a entrar em pânico e não conseguem tomar qualquer atitude.

Depressão:
outras entram em depressão, choram se isolam das vítimas e também são incapazes de ajudar.

Disfunção orgânica:
apresentam desmaios, tremores, etc tornando-se mais uma “ vítima ”
a ser socorrida.
Hiperatividade:
o famoso “ busca-pé ”; agita-se , corre para todo lado tentando ajudar a todos.


Os passos a seguir estão separados apenas para facilitar o aprendizado.
Na verdade, deverão ser avaliados e utilizados praticamente todos ao
mesmo tempo, em questão de segundos.

Por isso a importância de ter sempre em mente um ...
Plano de ação
Uma das chaves de sucesso no socorro, é ter certeza que sua "ajuda" não irá piorar o problema!

Isto significa que não deve tomar atitudes que vão além de seus conhecimentos...
Deve ter em mente um plano de ação claro sobre como agir.
Isto o ajudará a manter-se calmo, evitará que voce se torne mais uma vítima e o tornará mais efetivo no socorro !


Pessoas com algum treinamento tendem a sofrer apenas de ansiedade no momento do atendimento.
Será natural que se tornem líderes nesta hora.
Uma atitude positiva auxiliará positivamente todas as pessoas a sua volta e tornará o acidente menos traumático.
Não raramente, algumas pessoas podem precisar de auxílio psico emocional passada a fase emergencial, seja por frustraçao de não ter conseguido manter a vida ou pela alegria do sucesso.

Plano de ação
Check - Procure na cena do acidente se novos perigos são eminentes
Ajuda - Peça ajuda especializada
Avalie - avalie os acidentados e escolha o que mais precisa de ajuda
Cuide - aplique seus conhecimentos de socorro
Mantenha - mantenha as vítimas estáveis e aguarde a ajuda chegar

Segurança no atendimento

Toda vez que encontrar um acidente, voce deve lembrar
que a sua segurança vem primeiro !

Antes de se aproximar tenha certeza que não existam riscos como:
fios energizados, produtos, gases e vapores químicos, tráfego de veículos, focos de incêndio, objetos a ponto de desabar, etc.


Uma vez determinado que o local está seguro, aproxime-se da vítima e verifique seu nível de consciência:
(de forma simplificada)

Consciente : quando responde bem e com precisão às suas perguntas básicas como Nome , idade, data , endereço,etc.
Confusa : quando não consegue responder algumas destas perguntas.
Algumas vezes pode apresentar-se agitada e/ou agressiva.

Inconsciente : Está desacordada, não responde ao ser chamada ou movimentada. Parece estar dormindo e assim permanece mesmo muitos minutos após o acidente.
Obvio que não irá desperdiçar estes preciosos minutos apenas observando se ela acorda sem tomar nenhuma atitude.

Lembre-se de sempre manter a calma e ser positivista com a vitima .
Jamais expresse em palavras, expressões faciais ou comentários paralelos sobre a gravidade das lesões, pois isto em nada ajudará o atendimento e tornará a vítima mais assustada do que já está, podendo causar-lhe reações psicoemocionais como aumento da freqüência cardíaca , etc, agravando a situação.
Atue desta maneira mesmo que acredite que a vitima esteja inconsciente, pois ela pode estar semi-acordada e ouvindo tudo ao redor recobrando a consciência em poucos minutos após o acidente.


Ao abordar a vítima pergunte-lhe em voz alta e clara : você está bem ?

Se ela responder :
Se ela NÃO responder :

Diga-lhe que está tudo bem e que o socorro já está a caminho .
o que aconteceu;
se sente alguma dor; onde;
tente colher seu histórico médico (diabetes, pressão alta, etc.).
quando foi sua última refeição,
se antes do acidente ou mal súbito sentiu tontura ou outro sintoma, etc.
Estes dados passados, ao serviço médico ou resgate, mesmo que por telefone, pode gerar-lhe as próximas condutas a serem tomadas até que eles cheguem ao local.
insista em acordá-la batendo palmas próximo a ela por mais alguns segundos.

Se ainda assim ela não responder, é porque deve estar inconsciente. Isto pode significar várias coisas: trauma de crânio, hemorragia interna, etc.
Imediatamente deverá iniciar uma checagem instantânea começando pelos sinais vitais
 

O cérebro é o primeiro órgão do corpo humano que começa a "morrer" na ausência de oxigênio.
Lesões irreversíveis podem se iniciar após 3 a 4 minutos sem oxigenação.

Desta forma para que ele seja mantido "vivo" precisamos da respiração que captará o oxigênio e dos batimentos cardíacos que fará com que o oxigênio chegue até ele ..

Estas 2 funções essenciais , respiração e batimentos cardíacos são chamados de sinais vitais.
 


Respiração

A respiração pode ser verificada de duas maneiras:
Observando-se o movimento do tórax,
Aproximando-nos da boca ou nariz da vítima para ouví-la.                                       
Batimentos cardíacos

 
Os batimentos cardíacos também podem ser avaliados de duas maneiras:
Encostando nosso ouvido no tórax da vítima, procurando ouví-los
Verificando o pulso


É feita usando o dedo indicador e o dedo médio, colocando-os na região do punho ou do pescoço onde sentiremos a pulsação da artéria.
 

Não utilize seu polegar para detectar o pulso da vítima. Poderá sentir seu próprio pulso com ele.
 
 
Avaliação da freqüência cardíaca da vitima.

Localizado o pulso, contamos o número de batimentos durante 15 segundos e multiplicamos por 4, assim teremos o número de batimentos por minuto.


Por exemplo:ao verificarmos 25 batimentos em 15 segundos , significa que a vítima está com uma freqüência de 100 batimentos por minuto.
Classificamos então a freqüência dos batimentos, de acordo com a tabela:

Verificada a presença de sinais vitais deveremos iniciar uma avaliação geral do estado da vitima.Na ausência de algum sinal vital deveremos iniciar as manobras de ressucitação cardio-pulmonar (RCP).
 
Verificada a presença dos sinais vitais, a próxima atitude será uma avaliação da cabeça aos pés, começando pela cabeça.
Apalpe o corpo todo, bacia, braços, pernas,dedos das mãos e pés sempre observando se há reação de dor.


 

Vale lembrar mais uma vez que :

A SUA SEGURANÇA VEM EM PRIMEIRO LUGAR!
Sabidamente o sangue é um transmissor de doenças principalmente virais como hepatites e Aids.
Se você socorrista possuir alguma lesão de pele (cortes, arranhões recentes,etc.) ela poderá servir como porta de entrada para algum vírus.
Desta forma se existir a possibilidade de contato com sangue da vítima durante este procedimento de avaliação, tente primeiro encontrar algum material que possa isolá-lo deste contato direto como uma luva, saco plástico, jornal ou toalha dobrada, etc.
Atendendo uma segunda vítima procure não utilizar o mesmo "isolante" que usou na primeira, pois poderá estar contaminando-a.
Se houver contato direto com os ferimentos da vítima, mesmo que você não tenha nenhum machucado, lave as áreas afetadas com água e sabão por 10 minutos após o atendimento.
Não há porque se desesperar pelo contato. As chances de adquirir uma doença desta forma são pequenas, porém prevenção ainda é o melhor remédio.
 
NUNCA mova a vítima da posição em que foi encontrada,a menos que ela corra mais riscos ficando onde está como a possibilidade de:.
incêndios ou explosões
quedas
choques elétricos
afogamento
inalação de gases venenosos
etc.
Lembrar sempre da possibilidade de lesões de coluna, onde a movimentação da vitima de forma incorreta poderá causar-lhe paralisias ou a morte imediata.


 
A suspeita de lesão na coluna, em qualquer altura , inicia-se pelo tipo de acidente .
Lesões de coluna são comuns em acidentes que envolvem velocidade com parada brusca como de automóveis, motocicletas, queda de grandes alturas , bicicletas e até mesmo esportivos como futebol, patins,etc.
Pacientes conscientes podem referir dor em algum ponto da coluna, formigamentos irradiando-se para braços ou pernas. Em casos em que já houve lesão do tronco nervoso, podem referir não sentir o membro.
Quando queixam-se destes sintomas nos braços (membros superiores) a lesão provavelmente foi na região cervical (pescoço). Estas queixas referidas apenas a perna (membros inferiores), a lesão ocorreu em um segmento mais baixo, entre o tórax e a região lombar.



Muito cuidado ao movimentar uma vítima de acidente, com possibilidade de lesão na coluna !

Não tendo material e/ou conhecimento adequado, e sendo realmente necessário a locomoção de vítima....

Transporte:
 Existem várias maneiras de transportá-la. Qual utilizar vai depender de sua avaliação e bom senso.
As mais comuns são:
puxar pelo tornozelo
puxar pelos ombros
puxar com cobertor
carregamento








Vítimas com suspeita de lesão na coluna deve ser mobilizadas"EM BLOCO" , ou seja :
A CABEÇA e o TRONCO devem ser mobilizados juntos ,
de forma que NÃO HAJA ROTAÇÃO de um sobre o outro.
O ideal é ter no minimo 3 socorristas para isso

NÃO UTILIZAR OS MÉTODOS ACIMA!



É importante que fique junto a vítima monitorando-a !

Peça à alguém que telefone enquanto voce presta socorro.
Se estiver sozinho :
preste os primeiros atendimentos,
deixe-a numa posição confortável, que facilite a respiração,
vá pedir ajuda e volte o mais rápido possível.






Medida do pulso:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário